Allan Kardec informa em seu diário (1) que por quatro vezes lhe foi anunciado pelos Espíritos Superiores sua missão de ser o Codificador da Doutrina Espírita.  Isso ocorreu em 30.04.1856, 07.05.1856, 12.06.1856 e 12.04.1860.

Sendo que o anúncio de 12.06.1856 foi efetuado pelo Espírito da Verdade, Espírito Superior (2) que presidiu a Codificação Espírita (3) do mundo espiritual. Nessa oportunidade, Kardec dialoga com o Espírito da Verdade, indagando-lhe se tinha capacidade moral e intelectual para tal missão.

O Espírito da Verdade responde que Kardec não teria problemas quanto a isto. Seus problemas seriam enfrentar com resignação a maledicência, a calúnia, a traição e o desprezo e as adulterações das instruções que ele laboriosamente haveria de compilar.

Com efeito, durante cinquenta anos de vida física, Kardec, como professor Rivail se preparou como cientista, professor, pedagogo e filósofo para entender o alcance das manifestações dos Espíritos, coordená-las, e dissertar sobre elas de forma precisa, concisa e didática. E, como filósofo, inserindo tais conhecimentos na enciclopédia da humanidade.

Para tanto estudou, ensinou e teorizou sobre as atualmente denominadas ciências da natureza e ciências humanas. Além disso, redigiu com maestria os diversos livros da Codificação Espírita (3) manejando com maestria o poderoso idioma francês, com o qual nos transmitiu a Doutrina dos Espíritos. Tudo isto sem contar com a superior evolução espiritual de que era portador.

O Codificador da Doutrina Espírita era, portanto, um Espírito altamente preparado para a missão. Porém, isto não lhe poupou de fadigas, perda de tranquilidade, interferência na saúde e inúmeros sacrifícios pessoais para nos trazer a Doutrina Espírita. Por este motivo, o diálogo entre Kardec e o Espírito da Verdade supracitado deve ser lido com atenção por nós estudiosos do Espiritismo.

Principalmente, as respostas do Espírito da Verdade, que prometeu a Kardec sacrifícios de toda espécie para tornar-se o Codificador da Doutrina Espírita. Devemos também prestar atenção à oração de Kardec aceitando a missão neste mesmo texto.

Neste diálogo, destacamos as seguintes palavras do Espírito da Verdade: “-.. as tuas melhores instruções serão desprezadas e adulteradas..” porque elas mostram a ingratidão e até mesmo a traição que temos feito com os ensinos e com os sacrifícios de  Allan Kardec.

Com efeito, a maior parte de nós espíritas não conhece a Codificação Espírita, não conhece Allan Kardec, preferindo obter informações nas opiniões imprecisas e errôneas de Espíritos pseudo-sábios e médiuns deslumbrados e/ou sem espírito crítico.

Allan Kardec cumpriu de modo competente e caridosamente sua missão de nos trazer o Espiritismo, pelo qual agora sabemos que somos Espíritos imortais em constante progresso intelecto-moral, herdeiros de nossas obras, artífices de nossa felicidade ou infortúnio.

Assim sendo, devemos honrar os sacrifícios de Allan Kardec, o Codificador da Doutrina Espírita estudando, divulgando e colocando em prática os ensinos contidos em seus livros – a Codificação Espírita.

Esse é o objetivo de Café com Kardec ao disponibilizar conteúdos pautados na Codificação, sempre respeitando a Doutrina Espírita e seu Codificador. Confira todos eles em nosso Blog.

 

Observações:

(1) – KARDEC, Allan. Obras Póstumas. 16ª edição. São Paulo:Lake – Livraria

Espírita Allan Kardec, 2017, páginas 224, 225, 229, 230 e 244.

(2) – KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. 71ª edição. São Paulo:Lake – Livraria

Espírita Allan Kardec, 2013, item 111 Espíritos Superiores, página 87.

(3) – Codificação Espírita consiste nos livros publicados por Allan Kardec.

Share This