Sim, mediunidade de cura existe!

O tema é estudado por Allan Kardec em toda a Codificação Espírita – veja quais delas foram lançadas em janeiro -, ou seja, em todos seus escritos sobre o Espiritismo.

Inicialmente, cabe identificar três fenômenos de cura. Dois são psíquicos, ou seja, produzidos por alma (Espírito encarnado).  E, um mediúnico, a verdadeira mediunidade de cura.

O primeiro fenômeno psíquico de cura é efetuado pelos magnetizadores, que tiram de si mesmos os fluidos curadores. Kardec, segundo suas próprias palavras, estudou o tema por mais de 35 anos.

O segundo fenômeno psíquico de cura consiste na identificação da doença, efetuado por encarnados no estado de emancipação da alma, por meio do sonambulismo ou da segunda vista, fenômenos estudados em O Livro dos Espíritos, questões 400 a 450. Identificada a doença, a terapia será encaminhada por um profissional da saúde encarnado.

Por fim, temos a mediunidade de cura propriamente dita. Esta consiste na atuação conjunta de um Espírito e de um médium.

Os temas supra aludidos são estudados em O Livro dos Médiuns nos itens 172 a 176 sob os títulos: “6. Médiuns Sonâmbulos” e “7. Médiuns Curadores”; bem como no item 293 – Perguntas sobre a saúde, números: 24 a 27.  No número 24, os Espíritos informam: “A saúde é condição necessária para o trabalho que devemos executar na Terra, e por isso, os Espíritos se ocupam dela de boa vontade.” Ou seja, a mediunidade curadora é aprovada e incentivada pelos Espíritos Evoluídos.

No prefácio à prece pelos doentes, em O Evangelho Segundo o Espiritismo, Kardec nos ensina: “Ao lado da medicação ordinária, elaborada pela ciência, o magnetismo nos deu a conhecer o poder da ação fluídica, e depois o Espiritismo veio revelar-nos outra espécie de força, através da mediunidade curadora e da influência da prece”.

Considerando “o poder da ação fluídica”, citado no ensinamento acima, devemos estudar também o livro A Gênese, Capítulo XIV – Os Fluidos.

Na Revista Espírita são encontrados inúmeros exemplos de casos de mediunidade curadora.

O próprio Kardec foi cuidado via mediúnica pelo Dr. Demeure, médico homeopata, que na época já estava desencarnado.

A leitura dos textos supracitados é imprescindível ao entendimento do assunto.

A questão que se coloca é se os estudos sobre a mediunidade de cura foram efetuados por nós, os encarnados?

Obviamente não. Quais os motivos? São muitos. Não há necessidade de enumerá-los, nem de procurar culpados pelo não desenvolvimento da mediunidade curadora.

Talvez, ainda não seja o tempo de merecermos conhecimentos mais aprofundados sobre este assunto.

Enquanto isto os Espíritos e os médiuns fazem o que podem para ajudar os encarnados em seus males físicos.

A mediunidade de cura é um dos temas que mais interessam o publico em geral. Neste artigo trouxemos algumas informações, sempre pautadas na Codificação, para sua reflexão sobre o assunto. Para acompanhar todas as novidades, assine nossa Newsletter.

Share This