O livro “O Céu e o Inferno ou a Justiça Divina Segundo o Espiritismo”, foi publicado por Allan Kardec em Paris em 1865.

Inexplicavelmente, esta obra é a mais desconhecida pelos espíritas dentre os livros da Codificação. No entanto, não deveria ser assim. Com efeito, o livro questiona tudo o que foi elaborado pelo pensamento humano sobre a vida futura, sobre as penas as recompensas e sobre os eventuais locais em que elas seriam efetivadas. Isto, por si só, recomendaria a sua leitura. Além disto, Kardec nos proporciona neste livro a argumentação necessária para que possamos orientar todas as pessoas interessadas nos temas acima aludidos.

Você quer saber se existe ou não uma vida futura após nossa existência física? Se existe ou não o Céu? Se existe ou não Inferno? Se existe ou não o Purgatório? Se as penas impostas por Deus aos nossos erros são ou não eternas? Se existe ou não anjos e demônios? Se os demônios estão livres e soltos no mundo com a finalidade única de nos induzir ao erro? Se somente os demônios podem manifestar-se nas comunicações mediúnicas? Se Moisés realmente proibiu a evocação dos mortos?

Você quer saber como é a nossa transição, ou seja, a desencarnação? Sentimos dor? Sim? Não? Você quer saber como vivem no mundo espiritual os Espíritos que tiveram uma existência física virtuosa? Ou, como vivem na vida espiritual as pessoas que não foram totalmente virtuosas, mas tiveram uma existência sem prejudicar o próximo? Você quer saber se existem Espíritos sofredores e porque sofrem? Como é este sofrimento? E os criminosos que se arrependem? O que acontece com eles? Estão no inferno? Você quer saber o que acontece com as pessoas que cometeram suicídio? Vão para o inferno? Você quer saber como são as existências terrestres de expiação das faltas? Quer saber qual o critério para a escolha destas existências e como o Espírito deve proceder para que elas sejam produtivas?

Enfim, se estes graves problemas existenciais já frequentam o teu pensamento, e as respostas dadas pelas religiões e pelas diferentes correntes espiritualistas não lhe convencem, recomendamos a leitura de “O Céu e o Inferno, ou a Justiça Divina Segundo o Espiritismo”. Nele você terá respostas lógicas, claras, objetivas e comprovadas.

Na primeira parte de “O Céu e o Inferno”, denominada “Doutrina”, Allan Kardec demonstra a impossibilidade da existência do céu, do inferno, do purgatório, das penas eternas na forma como são ensinadas pela igreja católica. Para tanto, utiliza os conhecimentos científicos e profunda argumentação lógica na analise dos conceitos supracitados, mostrando como eles são absurdos e iníquos em face da justiça e bondade infinitas, atributo essencial de Deus. Aliás, a “justiça divina” segundo a igreja católica é impiedosa e anacrônica em face das legislações penais hodiernas, as quais sempre procuram recuperar e reintegrar os transgressores. Será Deus menos justo do que os seres humanos?

Na segunda parte do livro, denominada “Exemplos”, o Codificador pesquisa e analisa depoimentos mediúnicos de Espíritos em diversos níveis evolutivos. Comenta seus ditados e deduz ensinamentos sobre como se opera a transição da existência física para a vida espiritual destes Espíritos, bem como sua percepção de erros, de acertos, de penas e recompensas e da duração delas. Temos nos ensinos de Kardec verdadeiro tratado de como se exercita o aspecto de ciência prática e de observação que caracteriza a Doutrina Espírita em seu caráter científico. E, o mais importante, por meio dos relatos destes Espíritos os ensinamentos do Espiritismo sobre o assunto são confirmados. Para tanto, Kardec submete os depoimentos dos Espíritos ao critério de Rrevelação, bem como ao critério da Autoridade da Doutrina Espírita no Controle Universal do Ensino dos Espíritos (1).

Mas não é só. No livro “O Céu e o Inferno”, Allan Kardec nos proporciona um magnifico curso de argumentação, de lógica, de pesquisa e de análise não só dos grandes temas das doutrinas espiritualistas, mas também das comunicações dos Espíritos, pertencentes a diversos estágios evolutivos.

Portanto, podemos utilizar este livro não só para aprender os temas nele contidos, que são da mais alta importância existencial, mas, inclusive, para ensinar e aprender como efetuarmos dissertação argumentativa, análise e pesquisa.

E, uma vez aprendidas estas ferramentas intelectuais, estaremos aptos a utilizá-las para analisar qualquer outra obra proveniente de Espíritos encarnados ou desencarnados, que trate dos temas estudados pela Codificação Espírita (2).

Por derradeiro, proponho que os responsáveis pelas áreas de cursos e estudos das casas espíritas, coloquem o livro “O Céu e o Inferno, ou a Justiça Divina segundo o Espiritismo” em pauta para estudo em caráter de urgência.

Notas:

(1) Para a questão da “revelação”, favor ler no livro “A Gênese, os Milagres e as Predições segundo o Espiritismo”, Capítulo I, “Caracteres da Revelação Espírita”. E, ler também no livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, Introdução, Item II, Autoridade da Doutrina Espírita, Controle Universal do Ensino dos Espíritos.
(2) Codificação Espírita consiste nos livros escritos por Allan Kardec sobre a Doutrina Espírita. Outras obras, escritas por autores encarnados e desencarnados sobre os conhecimentos espíritas são opiniões pessoais destes autores.

Assine a nossa newsletter

Participe da nossa newsletter para receber as últimas notícias e atualizações da nossa equipe.

Falta pouco agora. Você receberá um email pedindo para confirmar a inscrição. Clique no link que está no email e pronto. Você ficará sabendo das novidades e novos artigos do site!

Share This