Conheça neste artigo o conteúdo de O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, livro que fez surgir o Espiritismo e o Codificador Allan Kardec.

18 de abril de 1857 – um dia muito especial

Na manhã do dia 18 de abril de 1857 a cidade de Paris despertava com um acontecimento que seria trivial não fosse o inusitado do que se apresentou. A Livraria Dentu, de propriedade da viúva Melanie Dentu, abria suas portas e nas suas prateleiras e vitrines estavam expostos à venda diversos volumes da primeira edição de O Livro dos Espíritos, escrito por um desconhecido de nome Allan Kardec.

De fato, o autor era desconhecido, pois seu nascimento ocorrera exatamente nesse dia com o lançamento da obra à publicidade.

O impacto provocado no público parisiense foi tamanho, a sensação e a curiosidade indescritíveis quando corria de boca em boca a notícia de que Allan Kardec era o conhecido homem de letras, o pedagogo Denizard Hippolyte Léon Rivail, eminente figura das mais destacadas nos círculos intelectuais e culturais franceses. Conta-se que a repercussão foi de tal monta que somente naquele dia foram vendidos mais de uma centena de exemplares de O Livro dos Espíritos.

A primeira edição trazia 501 perguntas formuladas por Allan Kardec. Até aí nada de anormal, afinal o escritor era uma pessoa viva e como tal poderia escrever livros da mesma forma como fizeram Shakeaspere, Cícero, Platão, entre outros.

As respostas, porém, estas davam o que falar, pois provinham de supostas personalidades já mortas. Quem as assinava eram presumidamente os mortos, que transpunham as fronteiras do túmulo e agora voltavam para dizer aos homens que eles continuavam vivos.

Por dentro do conteúdo de O Livro dos Espíritos

O lançamento da segunda edição de O Livro dos Espíritos se deu em 18 de março de 1860, com 1019 perguntas e respostas.

Escrito na forma dialogada, O Livro dos Espíritos começa com uma Introdução extremamente rica que inclui a diferença entre Espiritismo e Espiritualismo, a importância da Ciência para o surgimento doutrinário e um resumo do que ensina a doutrina dos Espíritos – entre outros pontos essenciais!

Em seguida, a obra é dividida em 4 partes:

  • Livro Primeiro – As Causas Primárias: começa com a clássica pergunta “O que é Deus?” e segue com perguntas e respostas sobre Universo, Criação, Princípio Vital – os temas dessa parte seriam desenvolvidos, posteriormente, na obra A Gênese;
  • Livro Segundo – Mundo Espírita ou dos Espíritos: enfoca a origem e natureza dos Espíritos, a escala espírita, trata da reencarnação e do retorno ao mundo espiritual após o desencarne. Também presta esclarecimentos sobre emancipação da alma, a intervenção dos Espíritos no mundo corpóreo e mostra o que eles fazem quando estão na erraticidade. Todos os temas foram aprofundados em O Livro dos Médiuns;
  • Livro Terceiro – As Leis Morais: talvez a parte mais conhecida de O Livro dos Espíritos, onde são tratados assuntos como: leis naturais, importância do trabalho, progresso e sociedade, livre-arbítrio e muito mais;
  • Livro Quarto – Esperanças e Consolações: fala sobre as penas e gozos terrenos e futuros, explorado com detalhes em O Céu e o Inferno.

A obra se encerra com uma brilhante conclusão onde o Líder Espírita, Allan Kardec, afirma que o Espiritismo é o mais perigoso antagonista do Materialismo!

Porque estudar O Livro dos Espíritos

O resumo acima, obviamente, não revela a profundidade dos ensinamentos que precisam ser estudados. Isso porque cada frase, cada oração e cada sentença trazem ocultos sentidos muito maiores do que as palavras grafadas deixam transparecer.

Compete a cada um pinçá-los à medida que se lhe ampliam o raciocínio e o conhecimento das coisas, sempre norteados pelas investigações científicas, de vez que a Ciência e o Espiritismo se completam um pelo outro, segundo as palavras do próprio Allan Kardec.

O Livro dos Espíritos é a pedra angular do edifício doutrinário do Espiritismo, composto por outras obras que, juntas organizam e formam a Codificação Espírita, entre elas:

  1. O Livro dos Médiuns, como guia e orientador dos médiuns e doutrinadores, surgido em 1861;
  2. O Evangelho Segundo o Espiritismo, relativo às Leis Morais, editado em 1864;
  3. O Céu e o Inferno ou a Justiça Divina Segundo o Espiritismo, lançado em 1865;
  4. A Gênese – Os milagres e as predições segundo o Espiritismo, publicado em 1868.

Com esta obra inaugural, surgiu então, para o mundo corpóreo, o Espiritismo, trazendo explicações racionais que nos ajudam a entender melhor o significado da vida.

Concluindo, transcrevemos na íntegra o texto da pergunta 798 de O Livro dos Espíritos: O Espiritismo se tornará uma crença comum ou será apenas a de algumas pessoas?

Resposta: “Certamente ele se tornará uma crença comum e marcará uma nova era na História da humanidade, porque pertence às leis da Natureza e chegou o tempo em que deve tomar lugar entre os conhecimentos humanos. Haverá, entretanto, grandes lutas a sustentar, mais contra os interesses do que contra a convicção, porque não se pode dissimular que há pessoas interessadas em combatê-lo, umas por amor próprio e outras por motivos puramente materiais. Mas os seus contraditores, ficando cada vez mais isolados, serão afinal forçados a pensar como todos os outros, sob pena de se tornarem ridículos”.

Finda essa apresentação, só nos resta convidar o leitor a conhecer e estudar O Livro dos Espíritos para tirar suas próprias conclusões:

ACESSAR O LIVRO DOS ESPIRITOS

Share This