Saiba mais sobre esse acontecimento histórico que serviu para alavancar a disseminação da Doutrina Espírita, neste artigo baseado em texto original da Revista Espírita, de Allan Kardec.

Para diferenciar nossas observações, as colocamos em italic.

9 de outubro de 1861: obras espíritas são queimadas em Praça Pública

Em 9 de outubro de 1861, na cidade de Barcelona, Espanha, acontecia um fato histórico para o Espiritismo: o Auto de Fé de Barcelona, quando obras espíritas foram queimadas em praça pública por ordem de um bispo da Igreja Católica – ainda que Kardec tenha obedecido rigorosamente a legislação de então para o envio de livros comprados por um confrade morador daquela cidade.

Para registrar essa data recorremos a um texto extraído da Revista Espírita, de novembro de 1861, onde o próprio Codificador fala do acontecimento. Apesar de lamentável, o fato acabou se transformando em publicidade para as obras doutrinárias, já que o público quis conhecer o conteúdo dos livros queimados a mando da Igreja Católica.

O Auto de Fé de Barcelona nas páginas da Revista Espírita, de Allan Kardec

Mostramos neste tópico, relato de Allan Kardec sobre o Auto de Fé em Barcelona . veja o que o Codificador falou a seguir.

Nada informamos aos leitores sobre esse fato, que já não o saibam através da imprensa. O que é de admirar é que certos jornais, que geralmente passam por bem informados, o tenham posto em dúvida. A dúvida não nos surpreende, mas o fato em si mesmo parece tão estranho ao tempo em que vivemos, está de tal modo longe de nossos costumes que, por maior cegueira reconheçamos no fanatismo, pensamos sonhar ao ouvir dizer que as fogueiras da Inquisição ainda se acendem em 1861, às portas da França.

Nestas circunstâncias a dúvida é uma homenagem prestada à civilização europeia e ao próprio clero católico. Hoje, em presença de uma realidade incontestável, o que mais deve surpreender é que um jornal sério, que diariamente cai sem dó nem piedade sobre os abusos e usurpações do poder sacerdotal, não tenha encontrado, para registrar esse fato, senão algumas palavras zombeteiras, acrescentando: “Em todo o caso, não seríamos nós que nos divertiríamos neste momento em fazer girar as mesas na Espanha.” (Siècle de 14 de outubro de 1861).

Então o Siècle ainda vê o Espiritismo nas mesas girantes? Estará tão enceguecido pelo cepticismo para ignorar que toda uma doutrina filosófica, eminentemente progressiva, saiu dessas mesas, das quais tanto zombaram? Não sabe que esta ideia fermenta em toda parte? Que nas grandes cidades, como nas pequenas localidades, de alto a baixo da escala social, tanto na França quanto no estrangeiro, esta ideia se espalha com inaudita rapidez? Que por toda parte agita as massas, que nela saúdam a aurora de uma renovação social? O golpe com que imaginaram feri-lo não é um indício de sua importância? Porque ninguém se atira assim contra uma infantilidade sem consequência, e Dom Quixote não voltou à Espanha para se debater contra moinhos de vento.

O que não é menos exorbitante, o que causa admiração por não se ver nenhum protesto enérgico, é a estranha pretensão que se arroga o bispo de Barcelona, de policiar a França. Ao se pedir a reexportação das obras, ele respondeu com uma recusa assim justificada:

A Igreja católica é universal; e sendo estes livros contrários à fé católica, o governo não pode consentir que venham perverter a moral e a religião de outros países. Eis, assim, um bispo estrangeiro que se institui juiz do que convém ou não convém à França! Então a sentença foi mantida e executada, sem mesmo isentar o destinatário das taxas alfandegárias, cujo pagamento lhe foi exigido.

Relato de correspondente que assistiu o Auto de Fé em Barcelona

Ainda na Revista Espírita, edição anteriormente citada, Allan Kardec publica relato de um correspondente da Revista Espírita, que acompanhou o Auto de Fé em Barcelona. Acompanhe a seguir.

Eis o relato que nos foi dirigido pessoalmente:

Hoje, nove de outubro de mil oitocentos e sessenta e um, às dez horas e meia da manhã, na esplanada da cidade de Barcelona, lugar onde são executados os criminosos condenados ao último suplício, e por ordem do bispo desta cidade, foram queimados trezentos volumes e brochuras sobre o Espiritismo, a saber:

  • A Revista Espírita, diretor Allan Kardec;
  • A Revista Espiritualista, diretor Piérard;
  • O Livro dos Espíritos, por Allan Kardec;
  • O Livro dos Médiuns, pelo mesmo;
  • O que é o Espiritismo, pelo mesmo;
  • Fragmentos de sonata ditada pelo Espírito Mozart;
  • Carta de um católico sobre o Espiritismo, pelo Dr. Grand;
  • A História de Joana d’Arc , ditada por ela mesma à Srta. Ermance Dufau;
  • A realidade dos Espíritos demonstrada pela escrita direta, pelo Barão de Guldenstubbé.

 

Assistiram ao Auto de Fé em Barcelona:

  • Um sacerdote com os hábitos sacerdotais, empunhando a cruz numa mão e uma tocha na outra;
  • Um escrivão encarregado de redigir a ata do auto-de-fé;
  • Um ajudante do escrivão;
  • Um empregado superior da administração das alfândegas;
  • Três serventes da alfândega, encarregados de alimentar o fogo;
  • Um agente da alfândega representando o proprietário das obras condenadas pelo bispo.
  • Uma multidão incalculável enchia as calçadas e cobria.

Quando o fogo consumiu os trezentos volumes ou brochuras espíritas, o sacerdote e seus ajudantes se retiraram, cobertos pelas vaias e maldições de numerosos assistentes, que gritavam: Abaixo a Inquisição!

Em seguida, várias pessoas se aproximaram da fogueira e recolheram as suas cinzas.

Allan Kardec recebe parte das cinzas dos livros queimados na fogueira

Finalizando o texto, o professor francês relata que recebeu e guardou pedaços de cinza das obras queimadas em Praça Pública, pelas mãos dos carrascos.

Uma parte das cinzas nos foi enviada. Ali se encontra um fragmento de O Livro dos Espíritos, consumido pela metade. Nós os conservamos preciosamente, como autêntico testemunho desse ato de insensatez.

Este artigo foi elaborado com base em texto extraído da Revista Espírita, Jornal de Estudos Psicológicos – Ano IV – Novembro de 1861, No 11.

Sugerimos a leitura dessa coleção para entendimento da mensagem espírita e, também, do histórico do Espiritismo. Acesse o conteúdo completo clicando no link abaixo:

ACESSAR REVISTA ESPÍRITA

Share This