“Obsessão é a ação persistente de um mau Espírito sobre uma pessoa”
Allan Kardec

A obsessão é frequentemente uma vingança exercida pelo Espírito obsessor em face de agressões que sofreu do obsedado. Mas, pode também decorrer de inveja e de perseguições por diversos motivos que o obsessor entende que deve perpetrar contra a pessoa obsedada.

Ela pode manifestar-se na forma simples, na fascinação, na subjugação e na possessão.

Continue a leitura e saiba mais sobre a obsessão.

Tipos de Obsessão    

Como dissemos, a obsessão varia conforme a intensidade, podendo ser uma obsessão simples, fascinação ou subjugação – saiba mais a seguir.

Obsessão Simples

A obsessão simples caracteriza-se pela simples influência de ordem moral sem sinais exteriores perceptíveis. Seu reconhecimento é fácil quem está sendo obsedado. Assim, basta manter-se vigilante e o Espírito obsessor não terá ação contra quem está suportando a obsessão simples.

Fascinação

Na fascinação, temos a situação de que o Espírito obsessor consegue criar uma ilusão na pessoa obsedada, de tal forma que ela obedece cegamente os absurdos sugeridos pelo obsessor – não tem o senso crítico. A fascinação tem consequências gravíssimas, pois o obsedado pode efetuar ações ridículas e perigosas. Os Espíritos que provocam este tipo obsessivo são ardilosos e profundamente hipócritas.

Subjugação

Na subjugação, o Espírito obsessor consegue a paralização da vontade da pessoa obsedada, fazendo-a agir conforme a vontade dele obsessor. Pode ser subjugação moral ou corpórea. Na subjugação moral, o obsessor leva o obsedado a tomar decisões absurdas, que ele obsedado, no entanto, considera sensata. É semelhante à fascinação. Já na subjugação corpórea, o obsessor faz com que o obsedado pratique atos ridículos, como ajoelhar-se em praça pública, etc. Neste caso, o obsedado tem plena consciência disto e sente-se envergonhado, mas não consegue controlar seu corpo.

A obsessão na Codificação Espírita

A palavra “possessão” foi inicialmente descartada por Kardec em O Livro dos Médiuns, para não confundir com a possessão das religiões, segundo a qual o demônio entraria para sempre no corpo de um encarnado, levando-o ao desencarne.

A Doutrina Espírita não admite este significado, porquanto prova que não existem seres eternamente dedicados ao mal, ou seja, diabos e demônios. Por outro lado, demonstra a impossibilidade de um Espírito desencarnado apoderar-se do corpo de um encarnado de forma permanente.

Em o livro A Gênese, Kardec resignifica o vocábulo “possessão”, admitindo o controle temporário e intermitente do corpo de um Espírito encarnado por um desencarnado, que pode ser obsessor ou um bom Espírito. Este ensinamento deve ser lido nas palavras de Kardec, nos itens 47, 48 e 49 do Capítulo XIV – Os Fluidos, do supracitado livro A Gênese, para que seja corretamente entendido.

Existe solução para a obsessão?

Allan Kardec além de nos ensinar sobre a natureza e os diversos aspectos da obsessão, orienta-nos sobre como solucioná-la.

Em linhas gerais duas são as terapias:

  • Primeira e essencialmente, efetuar a orientação dos obsedados e obsessores a respeito de suas imperfeições morais e como eliminá-las. Para isto é necessário que se tenha ascendência moral sobre obsessor e obsedado.
  • A segunda consiste na ação magnética para destruir eventual ligação fluídica entre o obsessor e obsedado.

A obsessão só pode ser evitada por meio da identificação de nossas imperfeições morais e do esforço diuturno, que devemos fazer para eliminá-las. Os meios de evitar a obsessão são conhecidos há séculos – conhecer-se a si mesmo – fazer aos outros, aquilo que desejamos seja feito para nós.

A Doutrina Espírita, codificada por Allan Kardec, nos fornece os meios necessários para evitar a obsessão. Especificamente, a obsessão é estudada em O Livro dos Médiuns, Capítulo XXIII – Da Obsessão; em O Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo XXVII – Coletânea de Preces Espíritas, itens 81 a 84; e, no livro A Gênese, Capítulo XIV – Os Fluidos, itens 45 a 49. Estes livros, capítulos e itens são imprescindíveis para o conhecimento do fenômeno obsessivo, sua terapia e a forma de evitá-lo.

Para conhecer os ensinamentos Espíritas é preciso estudar seus fundamentos, que encontram-se na Codificação deixada por Allan Kardec. Você já estudou toda a Codificação? Compartilhe sua opinião conosco e acesse as obras fundamentais AQUI!

Share This