A equipe Café com Kardec tem imensa satisfação em divulgar um dos textos produzidos por Afonso Angeli Torteroli – preservando a ortografia original da época.

Contemporâneo de Bezerra de Menezes, Torteroli foi um grande líder espírita. Infelizmente, porém, esquecido pelo movimento espírita em geral.

** SPIRITISMO NO BRAZIL**

Afonso Angeli Torteroli

 Sob esta rubrica daremos notícia de todos os trabalhos spiriticos feitos no Brazil. Dando noticia de todos os trabalhos, temos em vista facilitar aos Membros da Sociedade Acadêmica, os meios de comparar e confrontar os diversos methodos seguidos no estudo do Spiritismo; muito embora divirjam elles, quer no fundo quer na fôrma, dos princípios e methodos adoptados na nossa Sociedade.

Começamos transcrevendo um artigo publicado no Diário Popular, de Campos (à época cidade da Província do Rio de Janeiro)  em 25 de Novembro de 1880, sob o titulo – Os Spirítas de Campos e sua associação, referindo-se à Sociedade Campista de Estudos Spirítas; a qual, estamos convencidos, terá abraçado o pensamento que o Sr. Camille Flammarion, astrônomo do Observatório de Pariz, e escriptor estimado no mundo scientifico, manifestou no seu discurso, ao despedir-se do fundador da Sciencia Spiríta, no dia da inhumação do involtorio material que serviu de instrumento para o progresso daquelle grande espirito, que na terra se chamou — Allan Kardec: — Porquanto, senhores, o Spiritismo não é uma religião, (grifo nosso) mas uma Sciencia, sciencia da qual conhecemos apenas o abc.

Eis o artigo:

“Como é notório fundou-se em Campos uma associação,que denominou-se:«Sociedade Campista de Estudos Spirítas», em tudo idêntica à sociedade «Pariziense de Estudos Spirítas» fundada em Iº de Abril de 1858 e autorisada por aviso do Prefeito de Policia, de 13 de Abril de 1858, de conformidade com o Avizo do Ministério do Interior e Segurança Publica e tem por devisa Cap. Iº—Art.1º—«A sociedade tem por fim o estudo de todos os phenomenos relativos às manifestações spirítas e sua applicação às sciencias moraes, physicas, históricas e psychologicas. São prohibidas as questões políticas, de controversia religiosa e de economia social.»

Compõe-se de um numero limitado de homens, crentes em sua doutrina, não fazendo propaganda para angariar adeptos ou sectários. Ordeira buscou logo em sua fundação legalisar-se, cumprindo o disposto no Cap. 11 §282, 283 do Código Criminal e tem a sciencia das autoridades locaes como sua garantia.

A sociedade Spiríta é um facto, e não é licito no século XIX pôr-se peias às investigações scientificas, amesquinhar-se o foro intimo de homens livres! Quando a imprensa livre altissonante clama contra o ultramontanismo, a França e Itália expulsam o jesuitismo, e pregam a liberdade de cultos veio-nos de chôfre, a amarga, senão injusta censura da imprensa mais livre e justiceira desta cidade!

Desde 1858, que funciona a Sociedade Spirita de Pariz, contando em seu seio Flammarion e outros gigantes da sciencia –  e ainda não mereceu censuras do mundo scientifico, e não nos consta que suicídios e desregramentos se tenham fiado entre os seus associados!

Um facto isolado de suicidio em uma communidade não pode fazer prova da falsidade ou negação de sua crença ou doutrina! Há fè, sinceridade e verdadeira crença em nosso grêmio, e convictos não trepidamos em aceitar uma argumentação sincera, calma e scientifica sobre qualquer ponto de nossa Doutrina e muito lucraríamos; pois a sciencia nasceu para os grandes obreiros, e onde ha livros não ha homens ignorantes.

Leiam as grandes obras sobre a sciencia spiríta:  Barreau, Revista Spirita e outras e acceitaremos uma controvérsia calma, em termos honestos e dignas de homens de sciencia, ou que almejam alcançal-a sem quebra do principio de caridade e polidez de homens que se presam! E nos provem:

l.o – Que, o ser que em nós pensa durante a vida não deve mais pensar depois da morte.

2.o – Que, se pensa, não deve mais pensar n’quelles que amou.

3.o – Que, se pensa n’aquelles que amou, não deve mais querer se communicar com elles.

4.o – Que, se elle pode estar em toda parte, não pode estar ao nosso lado.

5.o – Que, se está a nosso lado não pode se communicar comnosco.

6.o – Que, pelo seu envoltório fluidico não pôde actuar sobre a matéria.

7.o – Que, se pode actuar sobre a matéria inerte não pôde actuar sobre qualquer ser animado.

8.o – Que, se pode actuar sobre um ser animado, não pode dirigir-lhe a mão para fazel-o escrever.

9.o – Que, podendo fazel-o escrever não pôde responder ás perguntas e transmittir-lhe os pensamentos.

«Quando os adversários do Spiritismo nos tiverem provado com argumentos tão patentes, como os que Galileu empregou para demonstrar que não é o Sol que anda em redor da terra, então poderemos dizer que suas duvidas são fundadas; infelizmente todo o seu argumento até hoje, resume-se nestas palavras: «Não acredito, por conseguinte isso é impossível!».

Dirão, sem duvida, que, á nós compete provar a realidade das manifestações; nòs lhe provamos com factos e raciocínios, se nenhuma destas provas admittem, se negam aquillo mesmo que vêm; a elles cabem provar que os nossos argumentos são falsos e que os factos são impossíveis.»

Se refutarem scientificamente nossa doutrina, com argumentação séria e calma, nós continuaremos. Os Spíritas.

Afonso Angeli Torteroli

REVISTA DA SOCIEDADE ACADEMICA DEUS CHRISTO E CARIDADE Fundada no Imperio do Brazil em 3 de outubro de 1879. 1º Anno – 1881 – Abril – nº 4

 

 

Share This